Paraná aproveita 41 MW de pequenas centrais hidrelétricas

Onda de renegociações a caminho .
26 de maio de 2020
Zarpa última plataforma da primeira eólica flutuante semi-submergível do mundo
2 de junho de 2020
Mostrar tudo

Paraná aproveita 41 MW de pequenas centrais hidrelétricas



O governo do Paraná anunciou hoje que concedeu aprovação de construção e regulamentação a 41,45 MW de pequenas usinas hidrelétricas (UHE).


No Brasil, as usinas hidrelétricas (UHE) são divididas em três grupos, dependendo de sua capacidade: UHE tem capacidade superior a 30 MW, PCH está entre 1 MW e 30 MW e CGH é de até 1 MW. O estado aprovou duas PCHs e 13 CGHs.


Segundo o governador Carlos Massa Ratinho Junior, a construção de novas pequenas UHEs pode ser uma boa estratégia para a recuperação econômica do estado após a pandemia do COVID-19, pois são investimentos que não dependem diretamente de recursos públicos, ressaltou.


O Paraná agora tem 180 MW em 40 pequenos esquemas de usinas que poderiam abrir caminho em 2020-2021. Essas plantas representam um investimento de BRL 1,2 bilhão (US $ 223,5 milhões / EUR 203,7 milhões) e podem criar mais de 10.000 empregos, mostram dados da Associação Brasileira de PCHs e CGHs (AbraPCH).


O empréstimo será usado para financiar o Projeto de Fortalecimento dos Setores de Energia e Minerais II (META 2). Instituições públicas e agências setoriais terão acesso a atividades de assistência técnica, incluindo estudos, treinamento, metodologias, bancos de dados e equipamentos de TI.


O empréstimo chega em um momento em que o setor de energia do Brasil não está conseguindo atingir todo o seu potencial de desenvolvimento e promove a sustentabilidade ambiental e a inclusão social.


Com o empréstimo, o Brasil deverá aumentar sua produção de energia mais confiável, a preços mais baixos. O Ministério da Energia do Brasil utilizará o empréstimo para:

Aumentar a eficiência, a adequação da infraestrutura a longo prazo e a resiliência climática nos setores de energia e mineração.
Fortalecimento institucional de instituições de energia e mineração para estabelecer e implementar estratégias, políticas e regulamentação; e
Suporte à implementação, monitoramento e avaliação, compartilhamento e disseminação de conhecimento.


“Os setores de energia e mineração estão entre os principais impulsionadores da economia brasileira, pois formam a base para a sustentabilidade dos setores industrial e comercial, além de levar à prestação de serviços essenciais para a qualidade de vida dos cidadãos. Este projeto é uma continuação da colaboração de longo prazo com o Banco Mundial. Essa nova fase promoverá mudanças para apoiar a extração e o processamento sustentáveis ​​de minerais e metais para atender às necessidades da cadeia de suprimentos global de insumos e novas tecnologias. Em energia, o trabalho conjunto permitirá aumentar a eficiência e a resiliência dos mercados no Brasil ”, afirmou Bento Costa Lima Leite, ministro de Minas e Energia do Brasil.


” A primeira fase da META forneceu assistência técnica para fortalecer a capacidade das principais instituições públicas de aumentar as contribuições do setor para uma trajetória de menor crescimento de carbono, ambiental e socialmente sustentável”, diz Paloma Anós Casero, diretor do Banco Mundial para o Brasil. “Esta segunda etapa visa aumentar a eficiência, a adequação da infraestrutura a longo prazo e a resiliência climática nos dois setores, permitindo que eles cresçam de maneira mais eficiente e competitiva”.


Fonte :O petróleo

Escrito por :Redação

Link da Notícia: https://opetroleo.com.br/parana-aproveita-41-mw-de-pequenas-centrais-hidreletricas/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *