Previsão de aumento da carga em janeiro sobe para 7,2%

Indenização a transmissoras pode causar alta média de 9% nas contas de luz
24 de janeiro de 2017
Brasil registra recorde anual de nova capacidade instalada de geração em 2016
24 de janeiro de 2017
Mostrar tudo

Previsão de aumento da carga em janeiro sobe para 7,2%

A revisão 3 do Programa Mensal de Operação divulgado nesta sexta-feira, 20 de janeiro, pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico atualizou a previsão de carga. A nova projeção é de crescimento de 7,2% ante o mesmo mês do ano passado. Destaque para o SE/C

A revisão 3 do Programa Mensal de Operação divulgado nesta sexta-feira, 20 de janeiro, pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico atualizou a previsão de carga. A nova projeção é de crescimento de 7,2% ante o mesmo mês do ano passado. Destaque para o SE/CO é esperado um aumento de 8,4% e o Nordeste com aumento de 9,8% nessa mesma base de comparação.

O operador estima que as vazões para o submercado Sudeste/Centro-Oeste deverão encerrar o mês de janeiro com um nível de 73% da média de longo termo, aumento de 2 pontos ante a previsão da semana passada. Já no Sul o movimento deve ser o inverso, a nova projeção é de 162% da média ante um volume de 190% indicado sete dias atrás. No Norte e no Nordeste as previsão se mantiveram, com 42% e 32% da MLT, respectivamente.

Com isso, o volume esperado para os reservatórios ao final de janeiro apresentaram leve aumento quando comparados à versão da semana passada do PMO. A exceção ficou com o Sul que deverá encerrar o mês com 61,6%, no SE/CO espera-se 37,9%, no NE o indicador deverá ficar em 18,2% e no Norte 23,9%.

O CMO voltou a descolar entre a região Nordeste e o restante do país. A carga pesada e média nessa região ficou em R$ 171,33/MWh contra R$ 111,50/MWh nos demais submercados. A leve está em R$ 107,95/MWh em todo o país.

A geração térmica planejada para a semana operativa que se inicia neste sábado, 21 de janeiro está em 5.633 MW médios com 4.432 MW médios por ordem de mérito, 810 MW médios por inflexibilidade, 390 MW médios por restrição elétrica. Não há previsão de geração térmica por garantia energética.

Em termos operacionais o ONS indicou que o reservatório da UHE Tucuruí ultrapassou a cota 62 o que indica a retomada da operação da fase 2 da usina no rio Tocantins, que possui 8.340 MW e é até o momento a maior UHE em operação totalmente brasileira. Na semana as bacias do Tietê, Paranaíba, Grande, São Francisco e Tocantins devem apresentar pancadas de chuva.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *