Setor energético tem grande importância nas mudanças climáticas, diz especialista do Banco Mundial

Governo espera ter solução para GSF em 30 dias
28 de junho de 2017
Trump clama pelo domínio dos EUA na produção de energia global
28 de junho de 2017
Mostrar tudo

Setor energético tem grande importância nas mudanças climáticas, diz especialista do Banco Mundial

Para o especialista sênior no Brasil do Banco Mundial, Christophe de Gouvello, não há como falar de mudanças climáticas sem abordar o setor energético.

Para o especialista sênior no Brasil do Banco Mundial, Christophe de Gouvello, não há como falar de mudanças climáticas sem abordar o setor energético. A importância da atuação de políticas públicas para as questões climáticas foi tema da palestra “Agenda da Luta contra as Mudanças Climáticas no Brasil: alguns elementos de contribuição do Banco Mundial”, ministrada por Gouvello nesta sexta-feira (23/06), em Brasília.

 

Para o especialista, o Brasil fez grandes avanços na questão do combate a emissão de gases do efeito estufa. Entre 2009 e 2014, o Brasil foi o único país de grande porte que cortou suas emissões absolutas pela metade nos últimos anos.

 

"Mas boa parte deste avanço aconteceu devido a redução do desmatamento, especialmente na Amazônia. Com isso, o setor energético passa a representar uma maior porcentagem no quadro de emissões brasileiro", disse.

 

O especialista apresentou pesquisas feitas nos últimos anos e, tendo em vista a parceria mantida no âmbito do Projeto de Assistência Técnica dos Setores de Energia e Mineral (Projeto META), entre o Ministério de Minas e Energia (MME) e o Banco Mundial, proporcionou a explanação dos resultados destas.

 

Em um dos estudos, Gouvello ressaltou que o setor elétrico brasileiro, atualmente, é vulnerável ao clima e às questões hidrológicas. Para solucionar este problema, é necessário maior incentivo a pesquisa e a energias renováveis.

 

Desafios

 

Segundo o especialista, o Banco Mundial identificou dois grandes desafios para o Brasil. Um deles é migrar a ciência sofisticada que já existe no país para a capacidade de prever possíveis danos. O segundo grande desafio seria manter a trajetória de baixo carbono e acelerar a curva de aprendizagem de energias limpas, incentivando o mercado para o crescimento de fontes renováveis.

 

Projeto META

 

O Projeto META tem como principal objetivo contribuir para ampliação e consolidação do avanço dos setores energético e mineral brasileiro, dando apoio à competitividade e ao crescimento econômico no país.

 

As ações do Projeto META contemplam áreas estratégicas vinculadas ao MME. Com investimentos de aproximadamente US$ 53 milhões, o META prevê atender até o final de 2018 um total de 45 subprojetos/ações. Entre as propostas, estão a iniciativa Gás Para Crescer, estudos para a elaboração do Plano Decenal de Expansão de Energia (PDE), suporte à modernização tecnológica do Serviço Geológico do Brasil (CPRM) e do Departamento Nacional de Política Mineral (DNPM), entre outros.

 

Fonte: MME

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *