Liquidação Financeira do Mercado de Curto Prazo movimenta R$ 1,5 bilhão

Sete setores industriais aumentaram o consumo de energia em julho, diz Comerc
12 de setembro de 2017
PCHs podem triplicar em alguns anos no Paraná
13 de setembro de 2017
Mostrar tudo

Liquidação Financeira do Mercado de Curto Prazo movimenta R$ 1,5 bilhão

A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE finalizou nesta quarta-feira a liquidação financeira do Mercado de Curto Prazo (MCP)...

A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE finalizou nesta quarta-feira a liquidação financeira do Mercado de Curto Prazo (MCP) referente a julho de 2017, que movimentou R$ 1,48 bilhão dos R$ 4,43 bilhões contabilizados. Do valor não pago, R$ 2,55 bilhões estão relacionados com liminares de risco hidrológico (GSF) no mercado livre e R$ 400 milhões representam outros valores em aberto na liquidação.

 

A operação contou com a revogação da liminar das empresas que integram a Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia – Abraceel quanto ao rateio da inadimplência no mercado de curto prazo, elevando para 21% o montante recebido pelos agentes credores sem proteções judiciais relacionadas ao rateio da inadimplência. A revogação decorreu da sentença de improcedência, a qual analisou o mérito e negou o pedido.

 

Já os agentes amparados por decisões que determinam a incidência regular das normas vigentes perceberam uma adimplência de 25% e os agentes que possuem decisões judiciais vigentes para não participar do rateio da inadimplência oriunda de liminares do GSF perceberam uma adimplência próxima de 90%. Os valores incluem o pagamento dos excedentes da Conta de Energia de Reserva – CONER oriundos do provisionamento do Encargo de Energia de Reserva – EER que totalizam R$ 313 milhões que serão rateados de acordo com as regras de comercialização.

 

A CCEE reforça que tem atuado na esfera jurídica para garantir o tratamento isonômico de todos os agentes e a aplicação das regras de comercialização. Ao mesmo tempo, permanece aberta ao diálogo com os agentes e instituições do setor para encontrar uma solução de consenso para a judicialização no mercado.

 

A operação, realizada pela CCEE, envolveu 6.273 agentes, sendo 722 devedores e 5.551 credores.

 

A liquidação financeira do mercado de curto prazo representa o acerto de eventuais diferenças entre a energia medida e a contratada pelos agentes que operam no âmbito da CCEE. Os débitos e créditos, apurados pelo processo de contabilização das operações do mercado pela Câmara de Comercialização, são valorados ao Preço de Liquidação das Diferenças – PLD, calculado semanalmente.

 

Conta Bandeiras

 

A CCEE também promoveu a liquidação financeira referente à Conta Centralizadora dos Recursos de Bandeiras Tarifárias – ou Conta Bandeiras. A liquidação referente aos recursos de bandeiras tarifárias na contabilização de julho de 2017 movimentou R$ 106.332.625,02.

 

A operação considerou o pagamento de 79 distribuidoras e permissionárias devedoras na Conta no valor de R$ 104.055.692,20, e o pagamento do prêmio de risco hidrológico no valor de R$ 1.816.489,04 aportados por cinco Agentes. Os recursos arrecadados foram repassados pela Conta Bandeiras a 13 distribuidoras credoras, conforme estabelecido no Despacho SGT/ANEEL nº 2.742/2017. Eventuais valores de inadimplência serão inseridos na liquidação do mês subsequente.

 

Mensalmente, a Aneel define como deve se dar o rateio dos recursos arrecadados com a cobrança das bandeiras tarifárias nas contas de luz e do prêmio de risco hidrológico entre as concessionárias e permissionárias de distribuição, sendo a CCEE responsável por essa Operacionalização.

 

Fonte: CCEE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *