Hidrelétrica de Jirau é a usina com maior disponibilidade de geração do país

CMO reduz 54,2% com melhora na expectativa de chuvas para próxima semana
27 de novembro de 2017
Alemanha conclui turbina eólica mais alta do mundo
27 de novembro de 2017
Mostrar tudo

Hidrelétrica de Jirau é a usina com maior disponibilidade de geração do país

A usina hidrelétrica de Jirau (RO – 3.750 MW) alcançou, no último mês de outubro, 100% de disponibilidade de geração em atendimento às demandas do Operador Nacional do Sistema Elétrico.

A usina hidrelétrica de Jirau (RO – 3.750 MW) alcançou, no último mês de outubro, 100% de disponibilidade de geração em atendimento às demandas do Operador Nacional do Sistema Elétrico. Com isso, o empreendimento permanece como o primeiro do país no ranking do ONS que compila dados de disponibilidade de hidrelétricas e termelétricas, com média de 99,21% de atendimento no ano.

De acordo com a Energia Sustentável do Brasil, operadora da usina, a alta disponibilidade é fruto de investimentos da empresa na melhoria de processos, como a implantação de um novo sistema de vedação completa para o eixo de 22 das 50 unidades geradoras. O mecanismo é composto de skid de filtragem e caixa de vedação, que fazem a filtragem da água bruta e a selagem mecânica das turbinas.

Para garantir a eficiência da melhoria, foram realizados testes que contaram com o acompanhamento inloco de especialistas das fornecedoras dos equipamentos que compõem o novo sistema. Segundo Isac Teixeira, diretor de Operação da ESBR, o sistema anterior requisitava frequentes intervenções corretivas, o que gerava custo e dedicação da equipe de manutenção mecânica.

“Entre as vantagens do novo sistema está o menor peso. A vedação anterior era de aço e pesava cerca de 1 tonelada. A nova é fabricada em material mais leve, sendo que a peça mais pesada tem 70 kg. Isso facilita o manuseio, incrementa a segurança e agiliza a manutenção. Esta e outras melhorias contribuem para que Jirau continue sendo a hidrelétrica com maior disponibilidade do país”, ressaltou.

 

Fonte: Canal Energia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *