A influencia indiana no mercado global de energia

Ceará planeja transformar onda do mar em energia a partir de 2020
14 de janeiro de 2020
Mais de 3 GW de projetos solares previstos para o mercado livre
21 de janeiro de 2020
Mostrar tudo

A influencia indiana no mercado global de energia

 

O crescimento previsto do consumo de energia na Índia deve influenciar as dinâmicas do mercado de energia global nos próximos anos. As escolhas energéticas que o país fizer serão críticas para cidadãos indianos tanto quanto para o futuro do planeta, alerta a Agência Internacional de Energia (IEA, na sigla em inglês),em novo relatório.

 

 

Com população de 1,4 bilhões e uma das economias de crescimento mais rápido no mundo, o país será vital para o futuro dos mercados globais de energia. Nos anos recentes, a Índia fez grande progresso em desenvolver seu setor de energia, expandindo acesso à eletricidade e ao cozimento limpo. O governo implantou com sucesso uma variedade de reformas de mercado e desenvolveu seu setor de energia renovável, notavelmente em energia solar.

 

 

O governo também fez progresso significativo em reduzir o uso de biomassa no forno, a principal causa para a poluição do ar e incentivou o cozimento limpo com GLP.

 

 

A demanda indiana por energia deve dobrar até 2040, e a sua demanda por eletricidade deve triplicar, de acordo com o relatório. É esperado que o consumo de óleo do país cresça mais rápido do que o de qualquer outra grande economia, fazendo a segurança do suprimento de energia uma prioridade ainda maior para os formuladores de políticas públicas, embora outros países também devam rapidamente acelerar seu foco em renováveis, eficiência e outras tecnologias de energia limpa para acelerar a transição energética global na próxima década.

 

 

Também é destacado o momento sem precedentes do hidrogênio e o papel que pode desempenhar em encarar uma série de desafios, incluindo integração da rede de renováveis, a descarbonização de setores difíceis e o aprimoramento da segurança energética.

 

 

Refino

 

O relatório destaca o forte crescimento de renováveis na Índia, que agora é responsável por quase 23% da capacidade instalada total do país. A publicação também estima que o aprimoramento da eficiência energética na Índia deslocou 15% de demanda adicional de petróleo e gás, bem como evitou poluição do ar em 300 millhões de toneladas de emissões de CO2 entre 2000 e 2018.

 

 

A Índia é o terceiro maior consumidor de petróleo, o quarto maior refinador e um grande exportador de produtos refinados. O crescimento do consumo da Índia é esperado para ultrapassar o da China na metade dos anos 20, fazendo da Índia um mercado muito atrativo para investimento em refinaria. Para manter sua posição no topo no setor, o governo está perseguindo ambicioso plano para expandir sua capacidade de refino, alinhada com a projeção da demanda de crescimento do país até 2040.

 

 

O governo também mira em aumentar a participação de gás natural no mix do país, de 6% hoje para 15% em 2030. A Índia tem cinco terminais operantes para GLP. Projetos em construção poderiam resultar em 11 terminais adicionais nos próximos sete anos.

 

 

Solar e acesso à eletricidade

 

A Índia tem feito importante progresso em direção a cumprir as metas de desenvolvimento sustentável da ONU, em especial a meta 7, referente a fornecer acesso a energia. Emissões per capita da Índia são de 1,6 toneladas de CO2, bem abaixo da média global de 4,4 toneladas, enquanto sua participação nas emissões totais é 6,4%.

 

 

Outra análise recente da IEA mostra que em 2018 o investimento da Índia em solar fotovoltaica foi maior do que em todas as fontes fósseis de geração de energia juntas. Ações de larga escala tem contribuído para combinar desenvolvimento de energia renovável com rapidamente diminuir os preços.

 

 

Há 25 anos, metade da população da Índia não tinha acesso a eletricidade. Atualmente, 99,9% das casas tem eletricidade. Um esforço para melhorar soluções em áreas rurais tem resultado numa “revolução da chama azul”, com mais de 80 milhões de novas conexões de GLP. Combinado com rede de gás encanado, isso elevou o acesso ao cozimento limpo para 98% dos lares.

 

 

As metas da Índia incluem aumentar seu capacidade de geração de energia de renováveis de 80 GW hoje para 175 GW até 2022 e finalmente 350 GW no longo prazo. Isso requer aumento de investimentos tanto quanto acomodar os crescimentos das participações de eólica e solar, cuja geração pode variar dependendo da temperatura, hora do dia e da estação.

 

 

Tornar o sistema de energia da Índia resiliente às condições climáticas extremas tem que ser uma prioridade política alta, enquanto o país está vivenciando crises hídricas a se intensificar, tempestades, alagamentos e outros eventos climáticos extremos.

 

 

Escrito por: Rafael Fernandes 

Fonte: Energia Hoje

Link da notícia:https://energiahoje.editorabrasilenergia.com.br/a-influencia-indiana-no-mercado-global-de-energia/

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *