Em entrevista a TV Folha, Ivo Pugnaloni da ENERBIOS: “turbinas maiores, torres mais altas”

Energia da Escócia deve ser 100% renovável até o final deste ano
26 de fevereiro de 2020
Complexo Eólico Palmas II atrai investidores e compradores da futura energia
27 de fevereiro de 2020
Mostrar tudo

Em entrevista a TV Folha, Ivo Pugnaloni da ENERBIOS: “turbinas maiores, torres mais altas”

 

Na entrevista a TV Folha de Palmas, o Diretor do Grupo ENERCONS/ENERBIOS, Ivo Pugnaloni comenta sobre a situação do Projeto Eólico de Palmas II, além de informar sobre como um projeto deste nível pode beneficiar a economia de Palmas.

 

“Salto tecnológico aumentou a viabilidade econômica do Complexo Palmas II” – Diz Diretor Presidente da ENERBIOS sobre a descontinuidade da fabricação no Brasil de turbinas eólicas de 2 MW e sua substituição no mercado por turbinas de 4 MW a 5 MW. 

 

“Quase ao mesmo tempo, todos os oito fornecedores no Brasil e dezenas no exterior comunicaram ao mercado que não fabricariam mais turbinas na faixa de 2 MW e que haviam substituído esta linha por outra na faixa entre 4 MW e 5 MW. Dobrando a potência, foi necessário aumentar o comprimento das pás e, com isso, a altura das torres. O que foi positivo, pois conseguiremos ventos mais fortes e mais constantes nessa nova altura, aumentando assim a produção e a escala”, afirmou.

 

Entre outros benefícios, Pugnaloni citou o aumento de 46 Milhões de reais por ano a receita tributária ao Estado do Paraná com a Mudança Constitucional (PEC 27) que prevê cobrança do ICMS sobre a energia no local da geração e não mais estado do consumo. Mencionou ainda o aumento imediato, após do primeiro ano da operação comercial do empreendimento, em 14% na cota de participação do município de Palmas na arrecadação estadual do ICMS, significando mais de R$ 3,5 milhões sobre o valor atual de R$ 26 milhões por ano. Citou ainda o acréscimo de arrecadação de 65 milhões de reais em forma de ISS (Imposto Sobre Serviços) para a prefeitura durante a construção, bem como ao longo do tempo de funcionamento de 25 anos, devido às atividades de operação e manutenção.

 

 

Veja mais detalhes no vídeo a seguir:

 

Entrevista completa com Ivo Pugnaloni Jornal A Folha do Sudeste

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *