Conta-covid: distribuidoras solicitam R$ 14,8 bilhões e quem vai pagar são os consumidores, com aumentos de até 20%

Em 2020, consumo elétrico já caiu 5,8%
30 de junho de 2020
COVID-19: CCEE verifica queda de 4,7% no consumo de energia elétrica em junho
7 de julho de 2020
Mostrar tudo

Conta-covid: distribuidoras solicitam R$ 14,8 bilhões e quem vai pagar são os consumidores, com aumentos de até 20%

Para diretora da Aneel, processo dará liquidez ao setor elétrico. Enel SP pediu acesso a R$ 1,38 bilhão


A Enel Distribuição São Paulo anunciou em comunicado o mercado nesta segunda-feira, 6 de julho, que aderiu a conta-Covid, mecanismo criado pelo Governo Federal para conter o desequilíbrio financeiro nas distribuidoras causado pela pandemia de Covid-19. A concessionária requisitou acesso para até R$ R$ 1,38 bilhão. Em postagem em uma rede social, a diretora Elisa Bastos comemorou o encerramento da etapa de adesão à conta. Segundo ela, foram enviados 61 termos de adesão, sendo 50 concessionárias e 11 permissionárias, com um valor total requerido de R$ 14,8 bilhões, que representa 92% do limite de captação aprovado, de 16,2 bilhões. “É mais uma etapa cumprida nesse importante processo que visa reduzir o impacto dos reajustes tarifários de 2020 e dar liquidez ao setor elétrico”, escreveu a diretora.


A Equatorial Energia também anunciou a adesão das suas distribuidoras no Pará, Maranhão, Piauí e Alagoas à conta-Covid. A soma dos valores no grupo chega a R$ 1,29 bilhão. O Pará vai ficar com a maior fatia, de R$ 527 milhões; Alagoas vem em seguida, com R$ 325 milhões; Maranhão teve solicitação de até R$ 245 milhões e o Piauí teve o menor valor, de R$ 19 milhões. De acordo com a empresa, os valores informados consideram projeções para despesas de Parcela “A” no período de junho a dezembro deste ano. A Equatorial Piauí pretende captar a antecipação de Parcela “B”.


Outro grupo que aderiu a conta-Covid foi a Energisa. As 11 concessionárias do grupo vão pedir um valor de até R$ 1,35 bilhão, que corresponde a 78% do valor máximo da operação definido pelo órgão regulador. No Rio de Janeiro, a Light aderiu a conta e solicitou até R$1,326 bilhão, de acordo com o limite estimado pela Aneel. A distribuidora vai seguir trabalhando para o reconhecimento dos efeitos extraordinários da pandemia como ativos financeiros no seu resultado operacional.


Na última sexta-feira, 3 de julho, foi a vez da EDP revelar que suas distribuidoras em São Paulo e Espírito Santo também aderiram a conta. O total é de até R$ 573,7 milhões, sendo que a EDP São Paulo vai requisitar R$ 354.288.089,00 e a EP Espírito Santo, R$ R$ 219.423.404,00. O montante representa 92% do valor total estabelecido.


Fonte : Canal Energia

Escrito por: Pedro Aurélio Teixeira

Link da Notícia : https://www.canalenergia.com.br/noticias/53139633/conta-covid-distribuidoras-solicitam-r-148-bilhoes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *