Alta na taxa de consumidores do mercado livre de energia em 2020

Mercado de energia: novas regras e o impacto para consumidores e empresas
11 de agosto de 2020
Mercado livre de energia tem nova onda de expansão e atrai empresas menores, diz CCEE
13 de agosto de 2020
Mostrar tudo

Alta na taxa de consumidores do mercado livre de energia em 2020

De acordo com dados da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), o primeiro semestre de 2020 apresentou ótimos resultados, decorrentes do aumento do número de consumidores especiais em 25%. Em relação ao ano passado, o período cresceu 22,9%, atingindo 7.812 consumidores. Já desconsiderados agentes desligados no período, o volume de consumidores livres ascendeu 9%.

Foi em 2016 que a média mensal de adesão atingiu valores tão altos como o atual. A média deste ano foi de 143 migrações. São 25 a mais do que o ano passado.

A quantidade de processos de adesão em andamento aumentou 41% em relação a 2019. Grande parte dos novos processos de migração registrados no mês é de consumidores especiais: 796 dos 1.049.

Outras adesões também aconteceram, como as de 17 usinas produtoras independentes e as de quatro novas comercializadoras, demonstrando um crescimento para além dos consumidores.

De todos os setores, o de serviços apresentou maior taxa de adesão. Dos novos consumidores, 11 adesões possuem carga superior a 2 MW; 22 possuem carga entre 1 MW e 1,99 MW; e 102 têm carga de até 1 MW.

Ainda havia 21 pedidos em avaliação e 23 comercializadores varejistas já habilitados para atuação no final do mês de junho.

Fonte : Mercado Livre de Energia Elétrica

Link da Notícia : https://www.mercadolivredeenergia.com.br/noticias/alta-na-taxa-de-consumidores-do-mercado-livre-de-energia-em-2020/

Comentário da ENERCONS

Engraçado como a notícia não procurou nem explicar a razão da migração acelerada de 25% , sobre um total que vem sendo construído desde 1998…

Parece que não teve importância nenhuma a energia nos contratos de dois e três anos ter chegado a  180,00/MWh despencando de um patamar de R$ 280,00/MWh…

E que muita gente, sabendo disso, pulou fora do mercado regulado, mas sem gastar um centavo com painéis importados, suportes, reforço de estruturas de telhado, terrenos, juros, etc. Mas é claro, esses novos consumidores foram para o mercado livre mas, em compensação deixaram de “aparecer como moderno”, pois o consumidor que migra para o mercado livre apenas economiza entre 20% e 30%. Não “aparece” para os vizinhos e a concorrência. Ao contrário fica bem quietinho economizando.

Ele não passa a “ostentar” em cima dos telhados o conjunto brilhante e vistoso para a vizinhança ficar espantada…e com inveja…

E nem deixa de fazer, com a seriedade e isenção devidas, os cálculos de viabilidade técnico-econômica do retorno do capital investido, mas não os cálculos feitos pelo vendedor de equipamentos, que não levam em conta os dias de chuva, de céu nublado, de neblina, as sombras das arvores, das montanhas e nem muito menos que a tarifa que está sendo substituída pela geração própria é a tarifa industrial, muito mais baixa do que a residencial.

Presidente Sr. Ivo Pugnaloni

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *