Plano da Enel para 2030 foca em renováveis e redes

Fraga Construções bate recorde na construção da PCH Bedin
23 de novembro de 2020
PCH de 13 MW obtém Licença de Operação no RS
27 de novembro de 2020
Mostrar tudo

Plano da Enel para 2030 foca em renováveis e redes

Companhia prevê US$ 190 bilhões com maior parte dos investimentos em ativos próprios de geração e distribuição, além quase triplicar para 120 GW a capacidade renovável

A Enel prevê mobilizar € 190 bilhões globalmente entre 2021 e 2030, em seu novo plano de negócios. A companhia também pretende quase triplicar sua capacidade em renováveis no período, dos cerca de 45 GW atualmente instalados para 120 GW. Mas também pretende investir em igual proporção.

O grupo planeja investir diretamente cerca de € 160 bilhões, dos quais mais de € 150 bilhões por meio do modelo de negócios ownership (“propriedade”), em que mantém o controle do ativo, e cerca de € 10 bilhões com o modelo stewardship (“gerenciamento”), voltado para investimentos de terceiros através de parcerias, enquanto levanta outros cerca de € 30 bilhões de terceiros.

Do total previsto para o modelo ownership, € 70 bilhões serão investidos em geração renovável, a partir de um pipeline global atualmente em 140 GW. É pouco mais que os € 69 bilhões que devem ser destinados para o segmento de infraestrutura e redes, em melhorias de qualidade e resiliência, novas conexões e digitalização de infraestrutura. Os novos investimentos devem levar a uma base de ativos regulados operados pela companhia de cerca de € 70 bilhões em 2030 e a mais de 90 milhões usuários finais 100% no período. Os € 11 bilhões restantes serão destinados para desenvolver serviços para os clientes.

Em declaração, o presidente da Enel, Francesco Starace, classificou a companhia como uma “super major” – termo usado para se referir às grandes petroleiras globais – do setor renováveis.

Até 2023

Nos próximos três anos, a Enel deve investir diretamente cerca € 40 bilhões, dos quais cerca de € 38 bilhões de euros por meio do modelo de negócios ownership e cerca de € 2 bilhões no modelo stewardship, ao mesmo tempo em que catalisa € 8 bilhões de terceiros.

Do valor destinado para o modelo tradicional, em que a companhia controla os ativos, € 17 bilhões irão para renováveis, o que levará a uma capacidade renovável consolidada instalada geral de 60 GW até 2023 (33% mais em relação a 2020). Outros cerca de € 16,34 bilhões serão destinados em infraestrutura e redes. O valor dos ativos regulatórios do grupo deve com isso aumentar 14% em relação a 2020, atingindo cerca de € 48 bilhões em 2023. Outros € 4,6 bilhões serão investidos nos negócios de serviços aos clientes.

Redução de emissões

O grupo também prevê no plano alcançar uma redução de 80% nas emissões diretas de CO2 em relação a 2017 (certificado SBTi). Como meta de mais curto prazo, as emissões de CO2 do Escopo 1 do Grupo deverão diminuir em mais de 30%, de 2020 a 2023.

Mais de 90% dos investimentos consolidados da Enel estarão alinhados com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (ODS), o que prepara a companhia para emitir uma série de novos títulos que começam a ser criados para assegurar a finalidade dos investimentos, como os green bonds e os social bonds.

Fonte: Energia Hoje

Escrito por: Lívia Neves

Link da Notícia: https://energiahoje.editorabrasilenergia.com.br/plano-da-enel-para-2030-foca-em-renovaveis-e-redes/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *