Pesquisa aponta aumentos abusivos na conta de luz durante a pandemia

Sem investimentos em novas hidrelétricas e linhas de transmissão o Brasil pode apagar
3 de dezembro de 2020
Bolsonaro justifica aumento na conta de luz: ‘Se nada fizermos, poderemos ter apagões’
7 de dezembro de 2020
Mostrar tudo

Pesquisa aponta aumentos abusivos na conta de luz durante a pandemia

Levantamento do Idec junto a consumidores mostra que cobranças elevadas comprometeram orçamento de famílias e que falhas na comunicação das distribuidoras dificultaram solução de problemas em meio à crise

O aumento no consumo residencial de energia elétrica durante a pandemia, a cobrança das tarifas pela média em determinados períodos e erros das distribuidoras causaram dificuldades para famílias em todo o país pagarem as contas de luz nos últimos meses, com os problemas na comunicação das concessionárias agravando o quadro das principais conclusões de uma pesquisa do Idec em parceria com a ONG de Defesa do Consumidor.

“A partir dos resultados vamos notificar os Procons, o Ministério Público Federal e a Aneel para que tomem as medidas cabíveis contra as distribuidoras por falhas na prestação do serviço e na comunicação com os clientes”, afirma o diretor de Relações Institucionais do Idec, Igor Britto. A expectativa é que os órgãos analisem as informações, exijam explicações das empresas e, em casos mais graves, apliquem as penalidades.

O levantamento foi realizado entre os dias 21 de setembro e 23 de outubro por meio de formulário divulgado por meio das redes sociais do Idec e em veículos de imprensa locais, contando com 594 respostas válidas: 93% dos participantes identificaram que houve aumento expressivo nas suas contas de luz durante a pandemia, dos quais 92% consideram que o aumento não foi coerente com o consumo.

Os problemas chegaram a comprometer o orçamento de diversas famílias. Dentre os entrevistados, 56,4% (335) conseguiram pagar a conta, mas tiveram de comprometer seu orçamento. Outros 157 não conseguiram pagar a conta.

A análise do Instituto é de que o incremento aconteceu durante o período mais acirrado da pandemia, quando a cobrança das tarifas foi feita pela média do consumo dos 12 meses anteriores em boa parte dos estados. Além disso, nesse período, a maioria das famílias passou mais tempo em casa. Com a retomada da leitura presencial dos medidores, as empresas puderam verificar a diferença entre os valores cobrados e os valores efetivamente consumidos nesses meses foram postos em uma única vez, o que levou a elevações significativas nas contas, principalmente de julho e agosto.

Outro destaque dentre os participantes da pesquisa foi a identificação de um aumento expressivo das contas e aproximadamente metade tentou entrar em contato com a distribuidora para resolver o problema, com atendimento insatisfatório. As distribuidoras mais citadas nesse sentido foram a Enel Distribuição São Paulo (130), CPFL Energia (20) e Light (16).

Fonte: Canal Energia

Link da Notícia: https://www.canalenergia.com.br/noticias/53156472/pesquisa-aponta-aumentos-abusivos-na-conta-de-luz-durante-a-pandemia

Comentário Ivo Pugnaloni empresa ENERCONS

Engraçado como as pessoas leigas foram ensinadas a pensar que vai se resolver o problema de falta de agua nos reservatórios das hidrelétricas existentes sem construir mais reservatórios e novas hidrelétricas…

Engraçado como se pode pensar que o problema de falta de novas hidrelétricas, se poderia resolver não construindo novas hidrelétricas, que são a única fonte a gerar energia COM ÁGUA CORRENTE, que não custa nada, apesar da população ter crescido de 130 milhões em 1990 para 220 milhões em 2020!

Todos os principiantes no tema energia, quase 100%, os sábios do whatsapp, daqueles que nunca se preocuparam antes com a energia, acham que a solução seria construir unidades de geração que não geram durante 24 horas mas apenas durante 6 ou no máximo 8 horas por dia…

Ahhh…como é fácil e gostoso dar palpites de graça para as autoridades e até para o PR …

Como é fácil falar coisas aparentemente óbvias, mas que são ditas sem nenhum embasamento científico, técnico ou nem mesmo lógico.

Falando sério, se quiser fazer-nos escapar do apagão o Governo Federal tem é que melhorar o formato do financiamento do BNDES para fontes como hidrelétricas, eólicas e biomassa.

Pelo menos para ficar IGUAL ás FACILIDADES oferecidas para a SOLAR.

Afinal, elas geram energia 24 horas por dia e não apenas 8 horas por dia! Elas podem ser construídas com equipamento 100% nacional e não quase 100% importado, como a SOLAR. Não há justificativa para existir qualquer forma de preconceito contra as fontes de energia 100% nacionais. Ou haveria alguma razão desconhecida para existir uma paridade, uma igualdade de tratamento, que na Constituição é obrigatória pelo princípio da ISONOMIA?

Essas outras fontes, que operam só durante o dia, no período da noite provocam um grande prejuízo a todos, pois exigem que, em seu lugar, passem a funcionar, sejam ligadas, as termoelétricas movidas a combustíveis fósseis, que geram energia OITO VEZES MAIS CARA e que são caríssimas para construir! Além disso, são 100% importadas, poluentes, consomem combustíveis importados para funcionar durante a noite e a madrugada inteira, 16 horas por noite, exatamente quando o sol vai embora…

Exatamente para iluminar o outro lado do mundo. Dos países de onde vem as placas solares importadas…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *