Sucesso da vacina ameaça país com apagão em 2021, diz especialista

Água já é negociada como commodity na bolsa de Wall Street
28 de dezembro de 2020
Consumo e geração aumentam na primeira quinzena de dezembro
28 de dezembro de 2020
Mostrar tudo

Sucesso da vacina ameaça país com apagão em 2021, diz especialista

Uma crise energética em 2021 está “nas mãos de São Pedro e da vacina”, diz o analista de energia Adriano Pires, do CBIE (Centro Brasileiro de Infraestrutura). Segundo o doutor em economia industrial, o desejado crescimento econômico pós-pandemia demandaria uma quantidade de energia que o Brasil não tem condições de fornecer —a não ser que chova acima da média nos primeiros meses do ano, para recuperar a produção das hidrelétricas. O sucesso da vacina e da economia podem levar a um apagão.

Em dezembro deste ano, o nível dos reservatórios das principais usinas chegou a um dos mais baixos da série histórica. Para contornar o problema, o Brasil tem aumentado uso de outras fontes, principalmente termelétricas, e está importando energia da Argentina e do Uruguai. Isso aumenta o custo da eletricidade e foi um dos motivos que levou a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) a acionar a bandeira vermelha 2, a mais cara para o consumidor.

Fonte : Uol

Escrito por : Felipe Andreatta

Link da Notícia: https://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2020/12/27/adriano-pires-energia-eletrica-apagao-crise-chuva-reservatorios-economia.htm

COMENTÁRIO  de Ivo Pugnaloni

Água doce vai ser cotada na Bolsa de Valores de Nova York. E agora? O que isso significa?

Com a palavra as conhecidas “ongs” e “especialistas” que combatem a construção planejada e sustentável de reservatórios de água doce no Brasil.

Com a palavra aqueles que ganham salários elevadíssimos para colocar a opinião pública contra a construção de novas usinas hidrelétricas de qualquer tamanho, em qualquer lugar. Com ou sem reservatórios, que podem ser usados para irrigação, piscicultura , lazer, navegação, turismo, etc gerando receitas para a população local.

Com a palavra aqueles que ficam caladinhos, não dizem nada contra a construção de termoelétricas caras, poluentes e que sujam a matriz energética brasileira, aumentando as tarifas brasileiras que já são as maiores do mundo! Termoelétricas que apenas são necessárias para suprir a falta de novas hidrelétricas, que estes verdadeiros artistas, combatem por dinheiro.

Talvez continuem caladinhos por receberem grossos volumes de dinheiro da indústria do petróleo em suas contas bancárias ou nos seus Demonstrativos de resultados.

A título de “colaboração com o meio ambiente” e “responsabilidade social”, claro! E descontando do Imposto de Renda, claro!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *