Carro elétrico já tem data para dominar mercado

Paraná está entre os estados com maior potencial de construção de PCHs e CGHs
28 de abril de 2021
De olho nos carros elétricos, Vale estuda transformar unidade de metais básicos em nova empresa com ações na Bolsa
28 de abril de 2021
Mostrar tudo

Carro elétrico já tem data para dominar mercado

A história do automóvel está em um ponto de inflexão. Na matemática, esse é o ponto em que a curva muda de sentido. Trata-se de mudança de direção ou desvio. Na era digital, uma disrupção. O fato é que os tradicionais e centenários motores à combustão começam a ser substituídos pelos elétricos. Movimento que já começou e agora ganha tração.

Em janeiro, durante o maior evento de tecnologia do mundo, o Consumer Electronics Show (CES), a General Motors mostrou por que o futuro da mobilidade é elétrico. E também como está pronta para liderar essa transformação, com investimentos de USD$ 27 bilhões para lançar 30 veículos elétricos inéditos até 2025. Modelos de todos os tipos e tamanhos para todas as necessidades, preferências e bolsos. Para ninguém ficar de fora.

Transição e metas

Recentemente, a GM anunciou seu comprometimento em alcançar a neutralidade de carbono em seus produtos e operações globais até 2040, apoiada em metas baseadas na ciência. Para isso, a GM planeja descarbonizar seu portfólio ao fazer a transição para veículos elétricos a bateria ou outra tecnologia de veículos com emissão zero, obtendo energia renovável e aproveitando compensações ou créditos mínimos. A companhia aspira comercializar apenas veículos zero emissão a partir de 2035, com a colaboração de governos, indústria e consumidores. Aproximadamente, 75% das emissões de carbono da GM são provenientes do uso dos seus produtos, o que torna essencial a conversão do portfólio para tecnologias de zero emissão, sejam elas de eletricidade, sejam de células de combustível.

A empresa continuará a aumentar a eficiência energética de seus veículos a combustão para acelerar a redução do consumo e das emissões de CO2 e outros gases contribuindo para reduzir o impacto ao meio ambiente e às pessoas. Algumas dessas iniciativas incluem tecnologias de melhoria de economia de combustível, como Stop/Start, de eficiência aerodinâmica, de motores reduzidos, de transmissões mais eficientes e de outras melhorias em veículos, incluindo redução de massa e pneus com menor resistência ao rolamento.

Coração dos elétricos

O avanço tecnológico permite prever que, em apenas cinco anos, os elétricos terão preço similar aos movidos a combustão. Isso se dará principalmente pela evolução das baterias, com maior capacidade de armazenar energia, mais autonomia e velocidade de recarga, que serão menores e dependerão menos de metais preciosos.

Na CES, foi apresentada a nova geração de baterias Ultium, da GM. Elas trazem células que permitem total flexibilidade na construção de qualquer tipo de veículo: de carros de entrada, passando por picapes e superesportivos, até futuros drones para transporte de pessoas. Além disso, todo gerenciamento será eletrônico e feito por sistema sem fio (wireless), com atualizações remotas via OTA (over the air).

Essa versatilidade será fundamental para que os veículos elétricos deixem de ser uma tecnologia de nicho para se tornar um benefício adotado em massa. Assim, iremos, efetivamente, contribuir para um futuro com zero emissão. 

Em 2020, a GM se propôs a ser a empresa mais inclusiva do mundo, e já está realizando diversas ações em vários campos para chegar lá. Com o desenvolvimento de novas tecnologias que irão tornar o carro elétrico acessível, a empresa lançou a campanha Everybody In. Apresentando a geração E, de elétrico, ela propõe que todos, de todas as idades, gêneros, etnias e crenças, possam entrar nessa.

O ponto de inflexão para essa transformação já chegou. Eu estou dentro, e você?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *