Construção de pequenas usinas hidrelétricas pode gerar mais empregos e investimentos para o Paraná

Montadora de carros elétricos promete investir R$ 25 bi em fábrica em MG
23 de junho de 2021
O primeiro ‘carro de corrida’ elétrico voador do mundo sobe aos céus pela primeira vez antes de sua estreia nas corridas aéreas
23 de junho de 2021
Mostrar tudo

Construção de pequenas usinas hidrelétricas pode gerar mais empregos e investimentos para o Paraná

Presidente da ABRAPCH explica os detalhes sobre o potencial hidrelétrico do estado, que está entre os maiores do Brasil

O Paraná está entre os estados do Brasil com maior potencial para construção de novas pequenas usinas hidrelétricas. Segundo levantamento realizado pela Associação Brasileira de Pequenas Centrais Hidrelétricas e Centrais Geradoras Hidrelétricas (ABRAPCH), o estado paranaense tem potencial de receber 119 novas centrais geradoras (CGHs) e 114 pequenas centrais hidrelétricas (PCHs). Para entender melhor sobre o assunto, o portal comVc conversou com Paulo Arbex, presidente da ABRAPCH, que comentou o papel das pequenas hidrelétricas no abastecimento de energia do país.

“Temos usinas de 0,1 Megawatts (MW), que são minúsculas, até usinas de 14 mil MW, gigantes como a Itaipu. Elas se classificam em 3 categorias: Centrais Geradoras Hidrelétricas (CGHs), que têm de 0,1 a 5 MW de capacidade instalado; de 5,1 até 30 MW classifica-se Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs); e acima de 30 MW de capacidade, são as grandes Usinas Hidrelétricas (UHE)”, define Arbex.

Segundo a ABRAPCH, o potencial das pequenas usinas em toda a região sul do Brasil é de gerar 3.782,5 MW, e das centrais geradoras, 977,4 MW, podendo gerar 285.954 empregos e investimentos de mais de R$ 33 bilhões. “Cada Megawatt é capaz de atender 2.618 domicílios. No Brasil, o IBGE classifica uma média de 2,92 habitantes por residência, o que totaliza 7.656 residentes atendidos por um MW”, acrescenta o presidente. O país tem hoje, já aprovado na Neoenergias, 15 mil MW de usinas de pequeno porte, CGHs e PCHs, sem contar as grandes; e esses 15 mil MW poderiam atender cerca de 39.300 de domicílios e 114 milhões de pessoas”, completa.

“O problema é o Brasil subsidiar o importado e taxar o que é nacional. (…) O país tem hoje 16 mil MW de energia eólica em operação e tem horas do dia que tem 200 MW operando, ou seja, menos de 2% do total em operação, o resto disso tudo parado. Enquanto isso, está entupido de termoelétricas, que produzem energia com base na queima de combustíveis fósseis”, comenta Arbex.

Fonte: ABRAPCH https://abrapch.org.br/2021/03/construcao-de-pequenas-usinas-hidreletricas-pode-gerar-mais-empregos-e-investimentos-para-o-parana/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *