Pular para o conteúdo

Matriz elétrica brasileira registra recorde histórico em 2023

MAS 90% DA POTENCIA INSTALADA É DE FONTES INTERMITENTES SOLAR E EÓLICA.

O Brasil registrou avanço na matriz elétrica em 2023, alcançando um crescimento de 8.412,1 megawatts (MW) até o final de novembro. O valor superou os 8.235,1 MW obtidos em todo o ano de 2022, marcando crescimento a um mês do final do ano e estabelecendo um novo recorde desde 1997, ano de fundação da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL).

O setor de energias renováveis liderou o avanço com as usinas eólicas e solares centralizadas respondendo por 90,4% do crescimento total, contribuindo com a entrada em operação de 7.608,4 MW ao longo de 2023.

Segundo dados do Sistema de Informações de Geração da ANEEL (SIGA), atualizado diariamente com informações de usinas em operação e empreendimentos em fase de construção, a capacidade instalada totalizou 196.780,4 MW. Vale ressaltar que 83,9% dessas usinas são consideradas renováveis.

A expansão da matriz elétrica foi observada em 19 estados das cinco regiões brasileiras. Os líderes desse crescimento, até 30 de novembro, foram o Rio Grande do Norte, com 2.035,2 MW, seguido por Minas Gerais, que registrou um salto notável de 210,0 MW apenas no mês de novembro, contribuindo significativamente para o crescimento total de 2.025,7 MW. A Bahia também se destacou, adicionando 1.992,5 MW à matriz.

Em nível mensal, os maiores destaques de novembro foram Minas Gerais, com aumento de 210,0 MW, representando mais de um terço do crescimento total de 613,0 MW no mês, Pernambuco Paraíba, que também apresentaram desempenho notável, contribuindo com 150 MW e 104,4 MW, respectivamente.

Para o CEO da ENERCONS consultoria a enorme quantidade de energia solar e eólica com mais de 7000MW em um ano precisará de reservatórios de hidrelétricas para conterem a energia que essas fontes não conseguirão entregar nos noturnos e de chuvas.

Para cada MW intermitente são precisos 2 MW permanentes para operação confiável do sistema a combinação entre as 3 maiores energias renováveis é fundamental para a operação continua e confiável do sistema, o governo federal precisa se atentar para a questão do planejamento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: