Pular para o conteúdo

ONS projeta carga de abril estável em relação a 2022

Sete dias atrás a perspectiva era de crescimento de 2,7% na comparação com o mesmo período do ano passado

O destaque na segunda revisão semanal do PMO de abril é a projeção de carga que voltou a recuar ante o cálculo de sete dias atrás. Agora a expectativa do Operador Nacional do Sistema Elétrico é de estabilidade ante um índice de crescimento de 2,7% estimado na semana passada. Pesou nessa projeção a revisão da carga no Sudeste/Centro-Oeste que passou de alta de 0,3% para queda de 2,9% na comparação com abril de 2022.

No Nordeste está o outro índice negativo, de 1,4%. No Sul é esperado um crescimento de 4,9% e no Norte uma expansão um pouco menos expressiva passou de alta de 15% para 14,4%.

Já a previsão de vazões para o final de abril mostra um país bastante diferente. Em termos de volume esperado, o Norte e o SE/CO apresentam os maiores montantes em MW médios e índices proporcionais com 108% e 96% da média de longo termo. No Sul a previsão é de 79% e no NE apenas 36% da MLT.

Assim, a projeção para o final de abril aponta níveis de reservatórios acima de 80% em todo o país. O mais elevado continua no Norte com 99,9% do volume em energia armazenada. Depois vem o NE com 90%, seguido pelo SE/CO com 87,1% e o Sul com 82,9% do total.

Dessa forma, o custo marginal de operação é mais uma vez zero em todo o país, o que leva a um despacho térmico apenas por inflexibilidade declarada. Essa semana operativa que começa no sábado, 15 de abril, indica uma previsão de 4.508 MW médios.

Em termos de meteorologia, o ONS reportou que na semana que termina nesta sexta-feira, 14, houve chuva fraca nas bacias dos rios Tietê, Paraíba do Sul, Grande, Paranaíba, Jacuí, Uruguai e Iguaçu, no trecho montante a UHE Três Marias e na incremental à UHE Itaipu.

Já para os próximos sete dias dever ocorrer chuva fraca à moderada nas bacias dos rios Iguaçu, Paranapanema e na incremental a UHE Itaipu e precipitação de intensidade fraca no Jacuí, Uruguai, Tietê, Grande e na calha principal do Paraná. E aponta que as bacias hidrográficas da região Norte apresentam pancadas de chuva em pontos isolados, com totais de precipitação abaixo da média semanal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: